UX Research

“Descobre o que as pessoas querem, e dá-lhes. Parece tão fácil. Na verdade, é a parte mais difícil de criar um serviço verdadeiramente centrado no cliente. Para criar um serviço realmente apreciado, precisas de estar em contato com os teus users do início ao fim.

Tem de fazer sentido

UX research é sobre a recolha de informações de users para ajudar a desenhar uma experiência que faz sentido. Falar com pessoas que utilizam o teu serviço, ou com pessoas que possam vir a utilizá-lo no futuro, pode dar-nos a informação necessária. Incorporamos essas conversas em momentos-chave do processo de design. Esses diálogos ajudam-nos a conhecer o teu cliente, validar suposições e, além disso, se as soluções desenhadas podem ser otimizadas.

No entanto, o que os usuários dizem e o que fazem são duas coisas diferentes. Por isso, nossos pesquisadores de UX escolhem cuidadosamente os melhores métodos de pesquisa qualitativa e quantitativa para cada etapa do processo de design.

Pesquisa qualitativa – que problema estamos a resolver?

Antes de começarmos a desenhar o UX, certificamo-nos de que sabemos qual é exatamente o problema que estamos a tentar resolver. Ferramentas de pesquisa qualitativa como contextmapping, entrevistas e need based personas, permitem-nos ter conversas com o teu user que, resultam em projetos baseados em necessidades profundas do utilizador. 

Design sprint – esta solução vale mesmo a pena o nosso investimento?

Um design sprint ajuda a definir e validar ideias promissoras para qualquer problema do utilizador. Primeiro, criamos ideias promissoras. Depois, definimos os pressupostos mais arriscados que irão determinar o sucesso da ideia. Criamos protótipos inteligentes para que possamos testar a ideia e as respetivas suposições.

Teste de usabilidade – a nossa solução é assim tão desejável quanto pensamos?

Agora estamos a fazer progressos. Tendo verificado as nossas principais suposições com o user, é hora de desenhar a totalidade do teu serviço. Enquanto fazemos isso, ainda fazemos uma tonelada de pequenas suposições. De preferência, terminamos cada sprint (ciclos de 2 semanas) com testes de user curtos, para ver se a nossa empatia e experiência de fato criaram um UX design que faz sentido. Estas entrevistas baseadas em tarefas induzem um fluxo natural, mostrando-nos se diferentes grupos-alvo são capazes de chegar facilmente aos seus objetivos. Com isso, estamos a otimizar o UX design passo-a-passo.

“ Uma conversa com o teu cliente é uma das ferramentas mais eficazes para espalhar o customer centricity na empresa. A nossa sala de user tests está localizada no coração do escritório da Koos e está aberta para que todos sejam convidados a participar e ouvir as conversas que estamos a ter. ”

Otimização da taxa de conversão – Otimiza para o sucesso.

Quando os nossos projetos ganham vida, temos a opção de apresentá-los a todo o grupo-alvo. Este é o momento de passar da pesquisa qualitativa para a quantitativa. Com técnicas como a web analysis, podemos ver o que os teus clientes mais usam, onde passam o seu tempo e também o que não acham interessante (mesmo que funcione bem). Ao optimizar o design com este conhecimento e focar nos teus objectivos de negócio, irás notar cada vez mais impacto.

Queres um ótimo UX Research?

Business Playbooks

Transformational program

Morphological psychology

Estratégia de Marca

Touchpoint Strategy

Employee Experience

Design Research

Customer Journey Mapping

Visual Design

Service Blueprint